Kdenlive/Pré Projeto

De Cartola

Fotografia e Vídeo | Kdenlive

3. Pré-projeto

Vamos aqui falar de assuntos que merecem atenção antes de iniciar a sua obra de arte no Kdenlive. Insumos, roteiro, preparações, enfim. vamos indo. Antes de começar a editar seus vídeos é interessante pensar em seus objetivos.

  • Quero fazer um vídeo caseiro sem qualquer compromisso
  • Quero fazer um vídeo caseiro com boa qualidade
  • Quero fazer um vídeo profissional

Dependendo do seu grau de exigência algumas dessas dicas, aplicáveis antes do início da utilização do Kdenlive, podem fazer muita diferença no resultado final. Mesmo em casos de baixa exigência sugiro uma lida rápida, pois algumas sugestões são muito simples e podem melhorar sem esforço o resultado final, seja qual for o propósito de seu vídeo.

Aqui um vídeo muito interessante, mostrando como são compostas algumas cenas de cinema. Um trabalho profissional como este exige muito planejamento, uso de várias técnicas e ferramentas distintas e muito trabalho. A edição do vídeo final é apenas uma das muitas tarefas necessárias.

Sob certo ponto de vista podemos separar o planejamento em duas partes:

  1. Planejamento técnico
  2. Roteiro

O planejamento técnico vai definir a resolução final do vídeo e, consequentemente, a resolução que devemos buscar para as partes que comporão o vídeo final, vai definir o equipamento a ser usado, qualidade necessária de cada parte, como será gravado o áudio e outras coisas. Isso pode ou não estar associado a limitações financeiras ou do que temos disponível. Se vamos usar um material já pronto e que foi filmado em 720p, por exemplo, não adianta queremos uma resolução final de 1080p, pois não vamos atingi-la. Se o orçamento é limitado e você vai usar o que tiver disponível, talvez seja importante testar o que você tem. Verifique se a qualidade de vídeo que consegue gerar é satisfatória. Faça o mesmo com o áudio. É possível e relativamente fácil remover ruído contínuo de fundo de um áudio, o que nos permite qualidade razoável mesmo com equipamento amador, mas é importante testar. Assim como na fotografia, no vídeo a luz desempenha um papel fundamental na qualidade de imagem. Em geral quanto mais amador o equipamento, pior qualidade de vídeo ele fornecerá com pouca luz. Isso pode te ajudar a planejar a iluminação necessária. Dependendo da situação você pode até mudar o local da filmagem, se possível. Uma entrevista num jardim, por exemplo, na luz do dia, pode dispensar equipamentos caros de iluminação interna.

O roteiro é a fase mais importante para que seu vídeo final conte adequadamente o que você quer contar. Você pode fazer um roteiro da maneira que preferir, mas faça um. Use uma planilha, itens em tópicos num arquivo texto, uma história escrita, ferramentas específicas ou um papel de pão. Qualquer coisa é melhor que nada.

3.0. Roteiro

Dependendo do seu projeto, de sua complexidade e tamanho, o roteiro pode se tornar a parte mais importante para que você atinja com sucesso seu objetivo final. Também pode ser feito através da Decupagem, mas não há uma receita única, ele pode ser feito de inúmeras maneiras diferentes, podendo, nos casos mais simples, estar simplesmente na sua cabeça. A decupagem, como dito no link passado, vem de uma palavra em francês que significa o ato de cortar. Fazer um roteiro nada mais é do que definir as partes do seu projeto e de que forma elas vão se conectar.

Imagine toda uma equipe trabalhando para fazer um vídeo. O roteiro é o que todos tem que conhecer. Ele vai disseminar e unificar o que tem que ser sabido sobre o vídeo para que o trabalho de todos caminhe na direção do que tem que ser produzido, do resultado que tem que ser alcançado no final. Não obstante, o que tento reforçar aqui é que ele é importante mesmo que estejamos trabalhando sozinhos.

Normalmente a gente percebe melhor a necessidade de um planejamento depois que passa por uma experiência. Antes disso tendemos a acreditar que mesmo em casos mais simples não é preciso planejar muito. Por exemplo, digamos que eu queira fazer um vídeo para apresentar o processo de instalação do Kdenlive num pendrive a partir de uma imagem pré instalada. Provavelmente eu conseguiria fazer isso sem qualquer planejamento, mas é certo que se planejasse teria boas chances de melhorar aspectos como:

  • Contextualizar melhor o ouvinte fazendo uma apresentação inicial de quem sou e do objetivo do vídeo
  • Evitar tempo de espera na gravação da tela:
    • já deixando abertas as janelas que serão utilizadas
    • já deixando baixados arquivos que serão usados, como o programa que grava a imagem e a própria imagem do pendrive
    • já deixando acessados os possíveis sites que vou mostrar na internet
  • Evitar erros listando os passos que serão realizados
  • Não deixar de comentar pontos importantes
  • Ter uma boa conclusão do vídeo

Não é difícil encontrar alguns vídeo tutoriais que falam de algo que nos interessa muito, mas são tão mal realizados que desmotivam a gente a assistir. As vezes a pessoa repete demais um mesmo ponto desnecessariamente, algo que poderia ser mostrado em 1 minuto é mostrado em 10, erros acontecem na gravação ao vivo, a pessoa gagueja muito ou mostra vícios de linguagem como "é", "né", "ó só", etc. Isso tudo poderia ser evitado com um mínimo de planejamento.

Uma simples lista de tópicos com as etapas já ajuda muito na fluidez de uma gravação. Por exemplo, vejam o roteiro que fiz para gravar um vídeo de apresentação da fase de planejamento do curso de Kdenlive:

  • Claquete: introdução
  • Objetivo? ==> planejamento
  • Plano Técnico X Roteiro
  • Técnico:
    • equipamento - áudio, vídeo, trilho, timelapse
    • luz - locação, equipamento
    • locação - história
    • áudio junto X separado - vamos ver!
  • Roteiro / decupagem
    • Entrevista, filme, tutorial, apresentação, institucional
  • Leiam o material
  • Tirem dúvidas
  • Respondam questionário
  • Façam seu roteiro

Na fase de edição posterior uma tabela com a decupagem do(s) vídeo(s) ajuda muito a agilizar o trabalho, que pode levar horas, mesmo que já saibamos o que fazer. As vezes é interessante, principalmente ao passar a edição para outra pessoa, dar dicas mais precisas do corte, como o início ou fim de falas ou coisas que acontecem no vídeo.

  • Vídeo 1:
    • 10 a 19s - quando termino de falar do timelapse
    • 26 a 35s - fade para preto depois que o copo é colocado na mesa
  • Vídeo 2:
    • 13 a 45s + 55 a 78s

Algumas reflexões sobre casos específicos:

Filmagem de uma história
Num caso como esse o roteiro naturalmente conterá a história que o vídeo deve contar. Isso pode ser feito num texto, em quadrinhos (croquis), animações, esquemáticos, infográficos ou em softwares específicos. Não há uma regra do que é certo ou errado, o importante é que você chegue ao nível de detalhe que considera adequado para que o vídeo final contenha o que você deseja. Se há mais gente envolvida, o nível de detalhe precisa ser maior. Se é uma equipe pequena ou mesmo só você, talvez não precise detalhar muito. Numa história é importante evitar a perda da continuidade, a coerência dos fatos. Eu recomendaria que a história fosse escrita antes, como num livro, e depois passada para a linguagem teatral, usando ou não desenhos, croquis e quadrinhos. Quanto mais as imagens representarem a história e os fatos contados no texto, mais importante é a representação prévia em desenhos, evitando perder detalhes importantes ou má representação deles.
Entrevistas
Entrevistas em geral trazem menos previsibilidade, a não ser quando são totalmente ensaiadas com o entrevistado. Em geral você vai planejar mais as perguntas e menos ou nada as respostas, propiciando, talvez, algum diálogo durante a entrevista. Isso tende a criar muito material que pode não ser todo utilizado depois. A decupagem, nesse caso, pode ter uma fase posterior de seleção dos trechos que serão utilizados. Isso significa assistir e anotar o início e fim de todos os trechos que você vai querer no vídeo final. Recomendo que se faça uma tabela pra passar depois pra fase de edição com tudo já definido - esse será o roteiro final.
Vídeos institucionais
Assim como nas entrevistas e outros casos, como depoimentos, documentários e outros, esse trabalho tende a produzir mais vídeo do que o que será usado no vídeo final e é importante uma fase de definição dos trechos a serem usados posterior a filmagem. Mais uma vez recomendo o uso de uma tabela de tempos definindo os trechos a serem usados e sua sequência. Isso inclusive permite que o trabalho seja dividido. Uma pessoa define os trechos e outra pessoa edita o vídeo final.
Tutoriais
Em tutoriais eu acho muito importante a definição dos passos que serão realizados. Fazendo isso você diminui a necessidade de ensaiar muitas vezes. No melhor caso você define os passos e a filmagem fica boa de primeira, mas isso é raro. A não ser que o processo seja muito simples e/ou que você seja muito fluente nele, o normal é a gente filmar algumas vezes até achar que ficou bom. Na maioria das vezes o material pode seguir direto pra pós edição, pois o roteiro que definiu os passos já indica o que deve conter o vídeo final.
Vídeos pessoais
Vídeos pessoais na maioria das vezes não tem planejamento algum. São meramente pós editado na tentativa de tornar mais agradável e atraente as lembranças de algum momento. Apesar disso, muitas ideias criativas já foram vistas por aí. Algumas muito interessantes são, por exemplo, a filmagem com um "pau de selfie" circulando a pessoa que filma e mudando de cena mantendo a mesma velocidade. Outra é a colocação e retirada da mão sobre a lente da câmera pra trocar de cena. Quem vê o vídeo vê a "mágica" da troca de cena. Fora esses pequenos planejamentos, o mais importante mesmo é a pós edição. O editor deve fazer um exercício de desprendimento para tentar desprezar material repetitivo e usar muita criatividade para deixar o vídeo atraente pra mais pessoas. Sons de fundo relacionados, troca de cenas mais rápidas, transições criativas, legendas e outros elementos costumam ser usados.

3.1. Resolução Final

O que é a resolução de um vídeo? A resolução indica o tamanho, em pixels (pontos), de um vídeo. Normalmente a resolução é fornecida pelas medidas de largura e altura em pixels do vídeo, por exemplo, 1920x1080 pixels (leia-se "mil novecentos e vinte por mil e oitenta pixels") ou com um código conhecido, como 1080p. Essas duas resoluções exemplificadas são a mesma resolução representada de formas diferentes. Essa mesma resolução é ainda chamada de Full HD. Veja neste link um material bem completo sobre resoluções.

Um projeto de editoração de vídeo pode contar com vários elementos, como: diversos vídeos originais, imagens, áudios, animações 3D, etc. Uma primeira coisa a se decidir é o formato do vídeo de saída desejado. É bom pensar nisso no início de seu projeto, antes de possíveis gravações, criações de imagens, animações ou renderizações de vídeo que servirão de insumo para o vídeo final, de modo que tenham qualidade suficiente para não prejudicar o produto final. Se precisarmos aumentar o tamanho de um vídeo, aumentando sua resolução pra além daquela na qual ele foi filmado, haverá perda de qualidade e pixelização da imagem.

3.2. Filmagem

Algumas dicas básicas para melhorar sua filmagem, seja ela com que equipamento for.

3.2.1. Não faça nada contra a luz

  • Não filme ou fotografe contra a luz, principalmente se você não tem refletores
  • Não deixe uma janela clara como fundo de sua cena
  • Não filme contra o sol
  • Observe de onde vem a luz mais clara do ambiente e se posicione

3.2.2. Ilumine!

  • Luz é muito importante
  • Se puder arrume duas fontes de luz: luminárias, refletores ou o que for. Posicione as luzes à 45 graus do objeto principal
  • Para as duas lâmpadas iluminando uma pessoa, algo equivalente a uns 100 ou 150w por lâmpada já está ótimo
  • Atente para a distância em cenas mais amplas: vai precisar dar mais distância e talvez de mais luz
  • Máquinas melhores terão melhores imagens com menos luz, mas provavelmente ficarão ainda melhores com mais

3.2.3. Cada coisa em seu lugar!

  • Se possível grave o áudio separadamente
  • A maior parte dos equipamentos próprios para áudio devem ter qualidade melhor que os equipamentos de vídeo
  • Use um microfone externo na sua filmadora se isso for possível
  • Não se esqueça de marcar um ponto comum no áudio e vídeo para a sincronia posterior (lembra da claquete?)
  • Outra opção é usar um microfone ligado ao computador e gravar nele o áudio enquanto o vídeo é feito na câmera
  • Se possível meça o volume do áudio e faça testes antes de gravar pra valer. A gravação no computador com o audacity, por exemplo, vai permitir essa regulagem facilmente
  • Trate o áudio separadamente, tendo ou não gravado ele separadamente

3.2.4. Evite vídeos com Parkinson

  • Se possível use um apoio para a filmagem, de modo que a câmera não trema
  • Algumas cenas podem ficar legais, parecendo cenas filmadas "em campo" com o movimento da câmera, mas a maior parte das filmagens em ambientes internos ficará melhor com a câmera apoiada
  • Apoie o celular, a câmera, o que for no que for, em livros, na mesa, num tripé
  • Um apoio bastante útil em diversas situações é um saco de areia. Com ele você apoia e deixa a câmera imóvel e com a areia é bem fácil posicionar a câmera na direção desejada. Pode usar ele em cima de outro apoio pra dar a altura desejada.
  • É possível estabilizar o vídeo depois, no editor, mas nada como um vídeo já estabilizado na filmagem

3.2.5. Composição

  • Observe o enquadramento e reenquadre
  • Não deixe objetos estranhos que vão distrair a atenção do espectador
  • Preste atenção em pontas de mesa, de cadeiras, qualquer "pedaço" de coisa aparecendo sem necessidade

3.2.6. Evite monotonia

  • Se tiver mais de uma câmera, use
  • A mudança da câmera que está filmando o narrador ou a cena enriquece o vídeo e ajuda a torná-lo menos maçante
  • Filme toda a cena dos dois ângulos, depois você escolhe qual vai deixar em que trecho
  • O kdenlive vai permitir uma boa sincronia entre as mudanças de cena
  • Se houver um narrador e preferir que ele mude pra onde está olhando, planeje quando isso vai acontecer e dê um intervalo na fala enquanto se vira, nunca fale se virando!
  • O deslocamento linear da câmera também é um efeito que cria imagens muito interessantes. Isso pode ser feito com trilhos, skate, patins e outros artifícios

3.2.7. Deixe folgas

  • Preste atenção em tempos de folga importantes
  • Ao iniciar a filmagem deixe alguns segundos de silêncio antes do início da ação (em cenas em que isso for possível)
  • Ao terminar a filmagem deixe alguns segundos de silêncio no final. Se houver um narrador observe se ele já não vira a cara assim que termina de falar. Isso não é bom.

3.2.8. É possível recortar e colar tudo depois

  • Repita trechos que errou
  • Se a cena for encenada, narrada ou coisa do tipo, não se incomode com trechos errados. Mantenha o vídeo gravando e repita
  • Ao repetir, dê intervalos de silêncio antes de recomeçar e nesse intervalo a cena deve estar na posição de partida. Não adianta dar um intervalo de silêncio se um possível narrador está com a cara pra baixo e começa a falar virando a cabeça para a câmera.
  • Ao repetir prefira recomeçar de frases inteiras se houver falas
  • Atente para o melhor ponto de corte se houver movimento. Prefira repetir trechos contínuos inteiros.
  • Se houver outra câmera o corte pode jogar para a outra imagem no momento da edição, portanto se acha que vai errar muito dê mais importância pra uma segunda câmera

3.3. Áudio

Principalmente em gravações sem equipamentos profissionais o áudio terá ruído. O ideal é evitar sons estanques, como "cliques", sons de pisadas, esbarradas em objetos, barulho de gente se ajeitando em cadeiras, etc. Fora esses, o ruído "de fundo", que pode se perceber em gravações mesmo quando estamos numa sala fechada e silenciosa, pode ser removido. Barulhos constantes, como os de vibrações de ar condicionado e outros, podem também ser filtrados, passando desapercebidos depois de um tratamento simples.

Pra viabilizar isso, porém, o ideal é tratar o áudio separadamente. Não importa se a gravação será separada ou junta com o vídeo. Dá pra separar o áudio do vídeo depois, muito embora o ideal talvez seja realmente gravar em um equipamento específico ou com um software específico, permitindo ainda o ajuste de volume e talvez até equalização. Uma boa sugestão, caso pense em separar a gravação, é o software Audacity. Ele está disponível na maioria das distribuições linux e BSD, bastando usar a ferramenta padrão para a instalação de softwares. Outra opção é o Ardour.

3.3.1. Sincronismo do Áudio e do Vídeo

Um problema que pode surgir ao gravar o áudio separadamente é a dificuldade em sincronizá-lo depois com o vídeo. Se vocês conhecem a claquete mas não sabem direito pra que ela serve (sim, ela tem um propósito prático!), ela é útil justamente para sincronizar o áudio e vídeo. No vídeo podemos ver o momento em que o camarada bate a claquete e esse mesmo momento gerou um pico no áudio gravado, facilitando o sincronismo. Você pode usar este princípio no seu vídeo de forma mais simples, batendo uma palma ou fazendo qualquer estalo com algo na frente da câmera por exemplo.

Sincronia Automática

O Kdenlive pode facilitar a sua vida na hora de sincronizar um áudio gravado separadamente. Se você tiver como gravar o áudio junto com o vídeo e também com um dispositivo separado, pode usar o áudio do vídeo como parâmetro para sincronizar o separado.

  • Faça todo o tratamento de áudio separado, exceto cortes que o tornem diferente do áudio da câmera
Ao invés de cortes, pode silenciar alguns trechos pois isso tende a não atrapalhar a sincronia automática
  • Inclua os clipes de vídeo+áudio e o de áudio na linha de tempo
  • Com o botão direito do mouse clique sobre o vídeo+áudio e selecione "Definir referência de áudio"
Isso vai fazer com que o áudio do vídeo seja usado como parâmetro para a sincronia
  • Com o botão direito do mouse clique sobre o áudio e selecione "Alinhar áudio à referência"
  • O áudio deve ter liberdade para se movimentar para os lados de modo a se posicionar corretamente, sem isso dará erro
  • Percebi que funciona melhor se der uma cortada no áudio, deixando-o menor que a referência, depois é só esticar arrastando as bordas

3.3.2. Separando o Áudio do Vídeo

Se você gravou tudo com sua câmera de vídeo e quer tratar o áudio separadamente é preciso separá-los. Existe uma infinidade de ferramentas que podem fazer isso.

Na linha de comandos Eu particularmente acho mais prático e rápido fazer isso na linha de comandos, por exemplo com o ffmpeg, que certamente estará instalado num ambiente onde o Kdenlive esteja. Abra um terminal de comandos e dê o comando:

 $ ffmpeg -i video_original.avi saida.mp3

Você pode ainda escolher outros formatos de saída de áudio, bastando alterar a extensão do arquivo de saída:

 $ ffmpeg -i video_original.avi saida.wav

Desde que a extensão seja própria de um arquivo de áudio, o ffmpeg criará um arquivo apenas de som, sem vídeo. Em alguns tutoriais pela internet você encontrará a opção "-acodec copy". Eu não recomendaria, pois, se por um lado isso fará com que o ffmpeg jogue o áudio do vídeo direto no arquivo de saída sem processá-lo, em tese fazendo o processo ser mais rápido, por outro lado o áudio original pode não ser mp3. Deixe o ffmpeg convertê-lo caso não seja e tudo dará certo.

Com o próprio Kdenlive Pra fazer isso no Kdenlive você tem que:

  • Abrir o kdenlive
  • No menu "Projeto" clicar em "Adicionar Clipe" (ou na área de clipes com o botão direito)
  • Na janela que se abre escolha em seu computador o arquivo de vídeo do qual deseja extrair o áudio
  • Dê OK e o vídeo deve aparecer na lista de clipes
  • Se aparecer uma mensagem indicando que o formato do clipe não tem um perfil de projeto adequado correspondente, apenas dê OK
  • Clique no clipe com o botão direito do mouse e, no menu que aparece, escolha "Extrair áudio" / "Wav 48000Hz"
  • Vai aparecer uma pequena janela. Se você der OK ele vai salvar o áudio no formato WAV com o mesmo nome do arquivo do vídeo.

3.3.3. Remoção de Ruído

Independente do método usado para reduzir o ruído, é importante melhorar a relação Sinal X Ruído. O que significa isso? Devemos aumentar o máximo possível a diferença entre o volume do ruído e o volume do áudio que interessa, nosso sinal de áudio. O ruído pode ser causado por diversos fatores, alguns dos quais não são influenciados pelo volume de gravação. Pra evitar que nosso áudio fique com o volume parecido com esses tipos de ruído devemos ajustar melhor o volume de gravação. A onda sonora deve ter um bom volume sem "estourar" na linha limite. Outra forma de melhorar a relação é tentar aproximar a captação do áudio da fonte sonora. Isso não aumentará o ruído ambiente ou causado por interferência no microfone, mas aumentará o volume do nosso sinal, melhorando assim a relação a nosso favor.

3.3.3.1. Com o Kdenlive

O efeito para remoção de ruído no Kdenlive está em "Add Effect > Enhancement > Denoiser".

3.3.3.2. Com o Audacity

Uma das vantagens do Audacity na remoção de ruídos é que ele oferece uma maneira simples de você lhe dizer o que você considera ruído. Este breve tutorial mostra como utilizá-lo para este fim.

3.4. Gravação da Tela

Gravar as coisas que você faz na tela de um computador pode ser útil, notadamente em tutoriais de softwares, como o do tratamento de áudio mostrado ali em cima. Se você acha que não vai precisar, apenas lembre-se de que isso é possível e pule este item.

Como a proposta aqui é usar o Kdenlive, isso implica em usar um sistema *nix e a ferramenta sugerida para gravar da tela será o ffmpeg. Não obstante, se você quiser gravar no Windows uma boa opção, também gratuita, é o Camstudio, mas você pode ainda preferir gravar o áudio e vídeo separadamente. O Audacity está disponível para windows também, como visto no vídeo de redução de ruído.

Primeiro sugiro definir a resolução de tela que será gravada. Se quiser se despreocupar com isso e gravar a tela toda pode seguir em frente, mas se a sua tela tiver resolução muito diferente que seu vídeo final você pode ter problemas de legibilidade do que for gravado. Tente no mínimo se preocupar em compatibilizar a proporção da gravação da tela (wide, quadrada, 4x4, etc) com o vídeo final.

O ffmpeg é utilizado normalmente na linha de comandos. Todas as chamadas a ele mencionadas aqui devem ser feitas em um terminal de comandos.

O processo

O processo de gravação da tela como um todo se resume a:

  • Iniciar a gravação do áudio
  • Iniciar a gravação do vídeo
  • Mudar o foco da tela para a região ou janela que quer gravar
  • Realizar as ações que deseja gravar
  • Interromper as gravações
    • para interromper a gravação do ffmpeg é preciso dar Ctrl+C ou 'q', dependendo da versão usada. Ele mesmo te indica o que é preciso usar já na hora que começa a gravar. Por exemplo, esta é a mensagem que nos dá para o uso do Ctrl+C:
 Press ctrl-c to stop encoding
  • Editar o vídeo final, tirando os trechos iniciais e finais onde provavelmente aparecerão os comandos para iniciar e parar as gravações
Preparando para gravar apenas um trecho da tela

Normalmente prefiro gravar da tela apenas um trecho, em geral com 1024x768. Essa definição vai ser usada ao chamar o ffmpeg, mas antes disso é preciso se preparar: como deixar a janela do que vamos gravar do tamanho adequado?

  • Crie ou arrume uma imagem com 1024x768 pixels
    • Para criar pode usar o GIMP por exemplo
    • Para arrumar uma imagem pode ir no google, na busca por imagens e procurar por "1024x768". Acesse e salve a imagem.
  • Abra a imagem na tela do computador
  • Certifique-se de que ela esteja sendo mostrada sem qualquer zoom, em seu tamanho natural
  • Abra a janela do programa que pretende gravar
  • Posicione a janela sobre a figura deixe-a exatamente do tamanho da imagem

Com isso temos então uma janela aberta com a resolução desejada, que no exemplo aqui é 1024x768. O mais fácil é posicionar essa janela no canto superior esquerdo e então o comando para gravação seria, por exemplo:

 ffmpeg -f x11grab -s 1024x768 -r 24000/1001 -i :0.0 -sameq meu_video.avi
O problema da barra superior
Alguns gerenciadores de janelas não nos deixam posicionar a janela no topo esquerdo do vídeo. Isso acontece inclusive no gerenciador de janelas padrão do Ubuntu, o Unity, que mantém uma barra no topo da tela. O Unity ainda tem outro problema: os menus da janela aberta ficam escondidos na barra superior do gerenciador.
Pra resolver isso:
  • Mantendo a barra superior:
  • Mantendo a resolução inicial: a janela que se vai filmar tem que ser reduzida, no caso do Unity, sua altura deve ser 25 pixels menor, permitindo que em 1024x768, nossa resolução de exemplo, a barra superior também entre na cena.
  • Mudando a resolução inicial: nesse caso a área a ser gravada poderia ser aumentada em 25 pixels para capturar também a barra de menus e gravaríamos a tela com 1024x793 - o que não é uma resolução comum de vídeo, portanto não é muito recomendável, mas nada impede que a utilizemos.
  • Removendo a barra superior:
Se você não usa o Unity mas seu gerenciador de janelas tem uma barra superior que pode ser cortada, então temos algumas opções:
  • É preciso mandar o ffmpeg gravar uma área maior e cortar o topo. No caso de uma barra superior com 25 pixels, gravaríamos com 1024x793 e cortaríamos 25 pixels em cima:
 ffmpeg -f x11grab -s 1024x793 -r 24000/1001 -i :0.0 -vf crop=1024:768:0:25 -sameq meuVideo.avi
  • Você pode também verificar se seu gerenciador de janelas permite a alteração da posição da barra.
  • Outra alternativa seria alterar o gerenciador de janelas utilizado. Algumas sugestões seriam o XFCE, Fluxbox ou Window Maker, que são inclusive gerenciadores mais leves e estão nos pacotes disponíveis para o Ubuntu, além de outros sistemas Unix. Mencionei eles aqui como exemplos, mas nem tenho certeza de que não usam uma barra superior. Eu costumo usar o Afterstep em sua versão 1.0, mas já é tão velha que em geral é difícil achar seu pacote já compilado.

Comando para gravar da tela inteira, independente do tamanho dela:

 ffmpeg -f x11grab -s `xwininfo -root | awk '/geometry/ {print $2}'` -r 24000/1001 -i :0.0 -sameq meu_video.avi
Ferramentas pessoais
Anúncio